Vitor Marinho y João Paulo Medina en la Educación Física brasileña en la década de 1980

Resumen

Durante el proceso histórico de construcción de la Educación Física brasileña, existe una tensión entre el sesgo biologicista, tecnicista y deportivista en contrapunto a una mirada sociocultural del área. En este panorama, se cumplen más de treinta y cinco años desde la publicación de los libros “O que é Educação Física” y “Educação Física Cuida do Corpo... e Mente”, respectivamente de Vitor Marinho de Oliveira y João Paulo Subirá Medina, quienes buscaron brindar discusiones para la Educación Física con el fin de reflexionar sobre los fundamentos que la sustentaban. Por su relevancia para el campo teórico de la Educación Física, en este estudio se buscó comprender el tema de la autoría de estos libros desde la sociología de la literatura, a partir del concepto de autoría y grupo social de Lucien Goldmann, con el objetivo de resaltar la importancia que tuvieron en aquel momento de los libros relacionados con el grupo social de Educación Física. De ahí surge el debate sobre el vínculo entre los autores de estos libros y el grupo social al que pertenecen, en el contexto de los años de 1980, relevantes para el desarrollo de una forma crítica de pensar a la Educación Física. Como resultado de la investigación se identifica que Vitor Marinho de Oliveira y João Paulo Subirá Medina son expresiones de un momento histórico específico que puede haber sintetizado el pensamiento del grupo social (al menos en parte) de Educación Física al que pertenecían , de acuerdo con las circunstancias de la época.

Palabras clave: Marinho, Medina, Autoría, Grupo social, Educación Física

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Abreu, S.M.B., Sabóia, W.N., e Nobrega-Therrien, S.M. (2019). Formação docente em educação física: Perspectivas de uma racionalidade pedagógica do corpo em movimento. Educação & Formação, 4(3), 191-206. https://doi.org/10.25053/redufor.v4i12.897

Acedo, L.R. (2020). Objetivo da Educação Física Escolar e seu objeto de estudo. In: A.S. Almeida et al. (Orgs.). Aprendizagem Significativa (1ª Edição). SL Editora.

Barthes, R. (2004). O Rumor da Língua. Martins Fontes Editora.

Bracht, V. (1995). Mas, Afinal, o que estamos perguntando com a pergunta “o que é Educação Física?”. Movimento, II(2), IVIII. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2188

Bracht, V., e Crisorio, R. (Orgs.) (2003). A Educação Física no Brasil e na Argentina: Identidade, desafios e perspectivas. Parte I, Introdução (pp. 7-12). Editora Autores Associados.

Castellani Filho, L. (2010). Prefácio. In: V. Marinho, O Esporte Pode Tudo (pp. 09-12). Cortez Editora.

Castellani Filho, L. (1988). Educação Física no Brasil – A história que não se conta. Papirus Editora.

Cavalcanti, K.B. (1984). Esporte para Todos – Um discurso ideológico. Editora Ibrasa.

Coletivo de Autores (2012). Metodologia do Ensino de Educação Física. Cortez Editora.

Cruz, M.M.S., Reis, N.S., dos Santos Carvalho, S.C., e Medeiros, A.G.A. (2019). Formação profissional em educação física: história, avanços, limites e desafios. Caderno de Educação Física e Esporte, 17(1), 227-235. https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p227

Dacosta, L.P. (1996). Uma Questão ainda sem Resposta: o que é Educação Física? Movimento, III(3), p. I-X. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2209

Dias, L.R.V. (2018). Técnica e política na obra de Vitor Marinho: uma análise teórico-epistemológica [Dissertação Mestrado profissional em Tecnologia para o Desenvolvimento Social. Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro]. https://pantheon.ufrj.br/handle/11422/5882

Foucault, M. (1992). O que é um autor? Editora Passagens.

Frederico, C. (2006). A Sociologia da Cultura - Lucien Goldmann e os debates do século XX. Cortez Editora.

Freire, J.B. (1989). Educação de Corpo Inteiro: Teoria e prática da Educação Física. Editora Scipione.

Gaya, A.A.C.A. (1994). Mas, Afinal, o que é Educação Física? Movimento, I(1), 29-34. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2012

Ghiraldelli Júnior, P. (1995). A Volta ao que Parece Simples. Movimento, II(2), XV-XVII. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2191

Goldman, L. (2005). Le Diez Caché: elude sur la visión tragique dans les pensées de Pascal et dans le théâtre de Racine. Éditions Gallimard.

Goldmann, L. (1990). A Sociologia do Romance. Editora Paz e Terra.

Goldmann, L. (1980). Ciências Humanas e Filosofia: O que é Sociologia? Difel Editorial.

Goldmann, L. (1967a). Dialética e Cultura. Editora Paz e Terra.

Goldmann, L. (1967b). Origem da Dialética: A comunidade humana e o universo em Kant. Editora Paz e Terra.

Lovisolo, H.R. (1995). Mas, Afinal, o que é Educação Física?: A favor da mediação e contra os radicalismos. Movimento, II(2), XVIII-XXIV. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2192

Löwy, M., e Nair, S. (2009). Lucien Goldmann ou a Dialética da Totalidade. São Paulo: Boitempo Editorial.

Luna, C.F., e Rocha, K.S. (2020). O currículo em educação física: mudanças paradigmáticas, políticas e legislativas. Cenas Educacionais, 3, e9914-e9914. https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9914

Medina, J.P.S. (1983). A Educação Física Cuida do Corpo e... Mente. Papirus Editora.

Oliveira, V.M. de (1983). O que é Educação Física. Editora Brasiliense.

Ortiz, C.A., Dias, L.RV., Costa, T.Q., Azevedo, A.C.B. de, Malina, A. (2020). Educação Física e Esporte, Movimentos Sociais e Democracia. Revista Prisma, 1(1), 41-59. https://revistaprisma.emnuvens.com.br/prisma/article/view/8

Pallafox, G.H.M. (1996). O que é Educação Física? Uma Abordagem Curricular. Movimento, III(3), XI-XIV. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2210

Pereira, C.A.H., Lima, M.S.L., Medeiros, J.L. de, e Alves, F. de A.F. (2020). Educação física: da ciência à docência. Research, Society and Development, 9(9), e73996108. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6108

Pimentel, G.G. de A., e Loro, A.P. (2017). “A educação física cuida do corpo... E ‘mente’”: entre discursos e dispositivos. R. bras. Ci. e Mov, 25(3), 125-133. http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v25i3.6784

Pires, A.G.M.G. (2013). Vitor Marinho de Oliveira: um mergulho no pensamento pedagógico da Educação Física brasileira. FIEP Bulletin on-line, 83. http://www.fiepbulletin.net/index.php/fiepbulletin/article/view/2847

Santin, S. (2007). Filosofando pelos Caminhos da Identidade da Educação Física. In: XII Reunião Científica de Educação Física. Bauru: UNESP.

Santin, S. (1995). A respeito de Comentários. Movimento, II(2), IX-XIV. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2189

Santin, S. (1987). Educação Física: Uma abordagem filosófica da corporeidade. Editora Unijuí.

Souza, J. de (2018). A atualidade de um clássico: Educação física humanista de Vitor Marinho de Oliveira. Revista Brasileira de Educação, 23, e230078. https://doi.org/10.1590/S1413-24782018230078

Stigger, M.P., Freitas, M.V. de, Rydz, S., e Myskiw, M. (2010). Revista Movimento: análise dos sentidos e da repercussão de um periódico que "se faz" no campo da Educação Física brasileira. Movimento, 16(esp.), 113-154. https://doi.org/10.22456/1982-8918.18217

Taffarel, C.N.Z., e Escobar, M.O. (1994). Mas, Afinal, o que é Educação Física?: Um Exemplo de Simplismo Intelectual. Movimento, I(1), 35-40. https://doi.org/10.22456/1982-8918.2013

Taffarel, C.N.Z. (1985). Criatividade nas Aulas de Educação Física. Editora Ao Livro Técnico.

Vargas, C.P., e Neira, M.G. (2019). A Educação Física brasileira por entre distintas epistemologias e o entrave da área 21. Revista Práxis Educativa, 14(3), 893-914. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.14n3.005

Vieira, S.V. (2012). MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do corpo... e ‘’mente’’: bases para a renovação e transformação da educação física. 7. ed. Campinas: Papirus, 1987. Conexões: revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, 10(1), 163-169. https://doi.org/10.20396/conex.v10i1.8637696

Publicado
2021-08-12
Cómo citar
Malina, A., Azevedo, Ângela C. B. de, Dias, L. R. V., & Zanela, J. A. (2021). Vitor Marinho y João Paulo Medina en la Educación Física brasileña en la década de 1980. Lecturas: Educación Física Y Deportes, 26(279), 2-19. https://doi.org/10.46642/efd.v26i279.2206
Sección
Artículos de Investigación