Mapeo como herramienta para la apropiación del territorio: revisión de literatura

Resumen

Se realizó una revisión sistemática de la literatura, en las bases de datos Scielo, Pubmed y Lilacs, a partir de los descriptores: "Mapeo y Salud", con el objetivo de reconocer los sentidos atribuidos al término mapeo en la literatura indexada, considerando la concepción del territorio adoptada en la esfera de la Salud Colectiva. A través del análisis de 11 trabajos científicos seleccionados, se encontraron mapeos de acciones, el mapeo con participación de sujetos y mapeo de experiencias que ocurren en el territorio, que se destacaron como herramientas para una mejor apropiación del territorio y el reconocimiento de las demandas locales, favoreciendo el diálogo con los sujetos y sus dinámicas.

Palabras clave: Participación social, Política pública, Promoción de la salud

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Amaral, M. S., Gonçalves C. H., & Serpa M. G. (2012). Psicologia Comunitária e a Saúde Pública: relato de experiência da prática psi em uma Unidade de Saúde da Família. Psicologia: Ciência e Profissão, 32(2), 484-495. Recuperado de: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=282022965015

Bock, A. M. M., Gonçalves, M. G. M., & Furtado, O. (2009). Psicologia sócio-histórica: uma perspectiva crítica em psicologia (4ª ed.) São Paulo: Cortez.

Buss, P. (2003). Uma introdução ao conceito da promoção da saúde. In: D. Czeresnia, & C.M. Freitas (Orgs.), Promoção da saúde:conceitos, reflexões, tendências (pp. 15-38). Rio de Janeiro: Fiocruz.

Camargos, Melina Alves de, & Oliver, Fátima Corrêa (2019). Uma experiência de uso do georreferenciamento e do mapeamento no processo de territorialização na Atenção Primária à Saúde. Saúde em Debate [online]. 43(123), 1259-1269. Recuperado de: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912321

Carneiro, F. F., Hoefel, M. G., Silva, M. A. M., Nepomuceno, A. R., Vilela, C., Amaral, F. et al. (2012). Mapeamento de vulnerabilidades socioambientais e de contextos de promoção da saúde ambiental na comunidade rural do Lamarão, Distrito Federal, 2011. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37(125), 143-148. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572012000100016

Cavalcanti, M. T., Carvalho, M. C. A., Valência, E., Dahl, C. M., & Souza, F. M. (2011). Adaptação da "Critical Time Intervention" para o contexto brasileiro e sua implementação junto a usuários dos centros de atenção psicossocial do município do Rio de Janeiro. Ciência e Saude Coletiva, 16(12), 4635-4642. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011001300012

Dias, M. S. A., Oliveira, I. P., Silva, L. M. S., Vasconcelos, M. I. O., Machado, M. F. A. S., Forte, F. D. S., & Silva, L. C. C. (2018). Política Nacional de Promoção da Saúde: um estudo de avaliabilidade em uma região de saúde no Brasil. Ciência e Saude Coletiva, 23(1), 103-114. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018231.24682015

Frosi, R. V., & Tesser, C. D. (2015). Práticas assistenciais em saúde mental na atenção primária à saúde: análise a partir de experiências desenvolvidas em Florianópolis, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, 20(10), 3151-3161. Recuperado de: https://doi.org/10.1590/1413-812320152010.10292014

Goldstein, R. A., Barcellos, C., Magalhães, M. A. F. M., Gracie, R., & Viacava, F. (2013). A experiência de mapeamento participativo para a construção de uma alternativa cartográfica para a ESF. Ciência e Saúde Coletiva, 18(1), 45-56. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000100006

Kemper, M. L. C., Martins, J. P. A., Monteiro, S. F. S., Pinto, T. S., & Walter, F. R. (2015) Integralidade e redes de cuidado: uma experiência do PET-Saúde/Rede de Atenção Psicossocial. Interface – Comunicação, Saúde e Educação,19(1), 995-1003. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622014.1061

Kunz, G. S., Heckert, A. L., & Carvalho, S. V. (2014). Modos de vida da população em situação de rua: inventando táticas nas ruas de Vitória/ES. Fractal, Revista de Psicologia, 26(3), 919-941. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0292/1192

Lussi, I. A. O., Matsukura, T. S., & Hahn, M. S. (2011). Reabilitação psicossocial: oficinas de geração de renda no contexto da saúde mental. O Mundo da saúde, 35(2), 185-192. Recuperado de: https://doi.org/10.15343/0104-7809.20102284290

Martins, L. D. D. S. G., de Paula, M. N. B., Araújo, V. A., & Andrade, E. A. (2019). Percepções de psicólogos sobre as dinâmicas territoriais na construção de ações promotoras da saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Recuperado de: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2019.9448

Moher, D. L. A., Tetzlaff, J., Altman, D. G., & Prisma Group (2009). Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. PLoSMed, 6(7), e1000097. Recuperado de: https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1000097

Pessoa, V. M., Rigotto, R. M., Carneiro, F. F., & Teixeira, A. C. A. (2013). Sentidos e métodos de territorialização na atenção primária à saúde. Ciência e Saúde Coletiva, 18(8), 2253-2262. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000800009

Pinto, E. E. P., Araújo, M. D., Matumoto, S., Capozzolo, A. A., Cardoso, M. R. L., & Mishima, S. M. (2010). Desdobramentos da educação permanente em saúde no município de Vitória, Espírito santo. Trabalho, educação e saúde, 8(1), 77-96. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462010000100005

Sacardo, D. P., Gonçalves, C. C. M., & Andrade, E. A. (2014). Território: potencialidades na construção de sujeitos. In: J. C. A., Fernandez, & R. Mendes (Orgs.). Promoção da saúde e gestão local (2ª ed.) São Paulo: Hucitec-Cepedoc.

Sícoli, J. L., & Nascimento, P. R. (2003). Promoção de saúde: concepções, princípios e operacionalização. Interface – Comunicação, Saúde e Educação, 7(12), 101-122. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832003000100008

Silva, K. L., Sena, R. R., Akerman, M., Belga, S. M. M., & Rodrigues, A. T. N. (2014). Intersetorialidade, determinantes socioambientais e promoção da saúde. Ciência e Saúde Coletiva, 19(11), 4361-4370. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320141911.10042014

Silvestrin, D., Kuhnen, A., & Tribéss, B. (2019). Contribuições da psicologia ambiental para promoção de saúde de pessoas em situação de rua. Saúde e Pesquisa, 12(3), 583-590. Recuperado de: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n3p583-590

Spink, M. J. P. (2013). Psicologia social e saúde: práticas, saberes e sentidos. Petrópolis: Vozes.

WHO European Working Group on Health Promotion Evaluation & World Health Organization. Regional Office for Europe. (‎1998)‎. Health promotion evaluation: recommendations to policy-makers. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe. Recuperado de: https://apps.who.int/iris/handle/10665/108116

Publicado
2020-12-14
Cómo citar
Santos, D. B. dos, Moraes, K. V. de, Jesus, M. C. A. de, Araújo, V. A., & Andrade, E. A. de. (2020). Mapeo como herramienta para la apropiación del territorio: revisión de literatura. Lecturas: Educación Física Y Deportes, 25(271), 162-175. https://doi.org/10.46642/efd.v25i271.2038
Sección
Artículos de Revisión