efdeportes.com

Avaliação da aptidão física como estratégia de 

contextualização das aulas de Educação Física no ensino médio

La evaluación de la aptitud física como estrategia de contextualización de las clases de Educación Física en escuela media

Physical fitness assessment as a strategy for contextualization of Physical Education classes in high school

 

*Doutor em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde - UFSM
Professor Instituto Federal Farroupilha - Campus SVS

(Brasil)

Renato Xavier Coutinho*

renatocoutinho@msn.com

Nelci José Donadel

tchi@svs.iffarroupilha.edu.br

Wendel Mombaque dos Santos

wendelmombaque@hotmail.com

Diego Nunes Carijó

dcarijo@svs.iffarroupilha.edu.br

Sharlon Jerzewsky Noro

sjnoro@svs.iffarroupilha.edu.br

 

 

 

 

Resumo

          O presente estudo teve como objetivo apresentar uma prática desenvolvida nas aulas de educação física do IF Farroupilha, campus São Vicente do Sul que avaliou o nível de aptidão física dos estudantes de ensino médio, com o intuito de conscientizá-los da importância da atividade física e fornecer subsídios para o desenvolvimento de uma prática integradora baseada no tema saúde. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, descritiva e correlacional, onde foram analisadas medidas de crescimento corporal e de aptidão física para a saúde. Participaram do estudo 290 alunos do ensino médio integrado, 198 meninos e 92 meninas. Através dos resultados observou-se que os meninos possuem maior massa corporal, assim como estatura, envergadura, resistência abdominal, resistência aeróbica, força de membros superiores e inferiores. Enquanto as meninas apresentaram maiores médias no IMC, flexibilidade, agilidade e velocidade. Salientamos que esta estratégia se mostrou eficaz do ponto de vista pedagógico, pois aumentou o interesse dos estudantes e possibilitou a contextualização dos temas discutidos em aula. Além disso, após este trabalho estão sendo desenvolvidas novas ações, através da implementação de um projeto plurianual e avaliações periódicas, bem como o estabelecimento de conexões com outras disciplinas de modo que seja possível a efetivação de uma prática integrada envolvendo a temática saúde pautada na realidade dos estudantes.

          Unitermos: Aptidão física. Saúde. Educação Física.

 

Abstract

          This study aimed to present a practice developed in physical education classes IF Farroupilha the campus of Saint Vincent South that assessed the level of physical fitness of middle school students, in order to make them aware of the importance of physical activity and provide subsidies for the development of a practice based on health issue. This study is a quantitative, descriptive and correlational research, which were analyzed measures of body growth and physical fitness for health. Participated in the work 290 high school students, 198 boys and 92 girls. The results showed that boys have higher body mass, and height, wingspan, abdominal strength, aerobic endurance, strength of upper and lower limbs. While the girls had higher average BMI in flexibility, agility and speed. We emphasize that this strategy proved effective from the pedagogical point of view, because it increased students' interest and enabled the contextualization of the topics discussed in class. Also, after this work are being developed new shares, through the implementation of a permanent project and periodic evaluations, as well as establishing connections with other disciplines in order to make possible the realization of an integrated practice involving the health themed guided by the students reality.

          Keywords: Physical fitness. Health. Physical Education.

 

 
EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 18, Nº 188, Enero de 2014. http://www.efdeportes.com/

1 / 1

Introdução

    A educação física enquanto disciplina escolar vem modificando nos últimos anos seus objetivos e propostas educacionais. Deste modo existem diversas tendências pedagógicas que influenciam a formação profissional e a prática pedagógica dos professores de educação física, logo observam-se diferentes formas de pensar e implementar esta disciplina na escola.

    Darido (2008) divide as concepções pedagógicas da educação física em dois períodos, um que vai da implementação das aulas de educação física nas escolas em meados do século XIX até a década de 1980, e outro a partir de 1980. O primeiro período é representado pelas tendências higienista, militarista, esportivista e recreacionista. Já o segundo período é composto pelas tendências: psicomotricidade, abordagem desenvolvimentista, construtivista-interacionista, crítico-superadora, crítico-emancipatória, saúde renovada e a dos parâmetros curriculares nacionais. Todavia, ressaltamos que essas não são as únicas abordagens existentes na educação física e elas variam dependendo do autor usado como referência.

    Neste sentido, entre as várias opções de abordagens de ensino possíveis, acreditamos que tratar o tema transversal saúde nas aulas de educação física é algo fundamental, uma vez que diversos estudos (FARIAS JUNIOR et al., 2009; MACIEL et al., 2010; TOPOLSKI et al., 2001) vêm apontando a necessidade da mudança no estilo de vida e comportamentos relacionados à saúde dos jovens e adultos. De fato a diminuição dos níveis de atividade física da população em geral, principalmente nos jovens, associados a hábitos alimentares inadequados tem contribuído para o aumento de doenças e agravos não transmissíveis (DANT), tais como: diabetes, hipertensão, doenças cardíacas e alguns tipos de câncer (BARRETO et. al, 2005).

    Além disso, o local onde este estudo foi desenvolvido, o Instituto Federal Farroupilha Campus São Vicente do Sul-RS recebe alunos de diferentes regiões do estado e do Brasil, com cultura e hábitos de atividade física diversos, o que destaca ainda mais importância de avaliar os níveis de aptidão e composição corporal dos mesmos, com o intuito de fornecer subsídios para o desenvolvimento de um ensino contextualizado e mais próximo da realidade. Neste sentido, salientamos que esses dados podem extrapolar as fronteiras do componente curricular educação física, contribuindo com elementos para a realização de uma prática integradora (SANTOS, 2012).

    Esta prática integradora é citada nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) de ensino médio integrado do Instituto Federal Farroupilha, pautando desta forma o desenvolvimento de diversas ações na instituição. Conforme o PPC, deverão ser implementadas, a cada período letivo, práticas interdisciplinares por meio de projetos integradores entre as disciplinas, contemplando a articulação entre ensino, pesquisa e extensão.

    O projeto integrador tem como finalidade integrar os conhecimentos das áreas básicas com o eixo tecnológico ao qual o curso está ligado, buscando complementar a formação do estudante; possibilitar o desenvolvimento de uma visão crítica e integrada dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas; estimular a pesquisa e o desenvolvimento de raciocínio reflexivo e analítico sobre os conteúdos desenvolvidos em sala de aula e incentivar a criatividade e as habilidades pessoais e profissionais do estudante.

    Portanto, a partir do exposto o presente texto tem como objetivo apresentar uma prática desenvolvida nas aulas de educação física do Instituto Federal Farroupilha, campus São Vicente do Sul que avaliou a aptidão física dos estudantes de ensino médio, com o intuito de conscientizá-los da importância da atividade física e fornecer subsídios para o desenvolvimento de uma prática integradora baseada no tema saúde.

Metodologia

    Este trabalho se constituiu em uma pesquisa de cunho quantitativo, descritivo correlacional, a qual conforme Thomas e Nelson (2002) visa explorar as possíveis relações entre as variáveis.

    Participaram do estudo 290 alunos, do ensino médio integrado do Instituto Federal Farroupilha Campus São Vicente do Sul-RS, destes 198 (68,3%) foram do gênero masculino e 92 (31,7%) do feminino.

    Os testes correspondentes às avaliações físicas dos alunos foram realizados nos períodos das aulas de educação física no primeiro semestre de 2013. Para a coleta dos dados foi utilizado o protocolo de testes do Projeto Esporte Brasil (PROESP, 2012), o qual é composto das avaliações citadas abaixo na tabela 1:

Tabela 1. Testes PROESP

    Após a realização dos testes e tabulação dos dados, os resultados foram discutidos com os alunos e a direção da instituição, a fim de elaborar estratégias para o desenvolvimento de ações pautadas no contexto escolar e mais próximas da realidade dos alunos.

Resultados e discussão

    Foram considerados válidos apenas 290 questionários, o instrumento foi aplicado em 92 mulheres e 198 homens, correspondendo respectivamente a 31,7% e 68,3%. A população de estudo foi composta principalmente por escolares de ensino médio.

    Ao ser realizado uma análise independente da idade foi verificado que a média de massa foi prevalente no sexo masculino, assim como estatura, envergadura, resistência muscular localizada, aptidão cardiorrespiratória, força MI e MS. Entretanto no sexo feminino apresentou maiores médias no IMC, flexibilidade, agilidade e velocidade (tabela 2).

Tabela 2. Análise descritiva conforme sexo

    A média índice de massa corporal de ambos os sexos está dentro do esperado para os jovens desta faixa etária (homens entre 22 a 25,4 e mulheres entre 22 a 24), conforme índice do PROESP-BR. Este dado está apresentando resultado diferentes de outros estudos que demonstram uma forte tendência do aumento de IMC entre crianças e adolescentes, de modo a evitar a presença de níveis elevados de colesterol e pressão arterial, além da provável ocorrência de obesidade (FORTES et al. 2013). Um fator de importância para a manutenção destes índices é o fornecimento de refeições para todos os alunos do IF FARROUPILHA, esta informação vai ao encontro de estudos realizados que demonstram a importância fundamental de uma alimentação balanceada (FORTES et al. 2013).

    O teste de flexibilidade realizado demonstra que somente o sexo feminino alcançou média superior ao esperado (índice de 25,7 para sexo masculino e 24,3 para feminino), o masculino ficou um pouco abaixo da média de modo que estariam mais expostos à ocorrência de desvios posturais e queixa de dores nas costas. Deve ser considerado quanto às diferenças anatômicas, após a puberdade, que os homens em geral apresentam maior comprimento dos membros inferiores proporcionalmente à estatura, parte dessa discrepância nos resultados obtidos nas moças poderá explicar suas diferenças na morfologia esquelética, tendo em vista sua aparente participação no resultado desse teste motor (LAMARI et al. 2007).

    Já o teste de resistência muscular localizada demonstrou que ambos os sexos alcançaram média superior ao esperado (masculino pelo menos 35 repetições e feminino 23 repetições), o que diminui a probabilidade de ocorrer desvios posturais e queixa de dores nas costas, situação que é verificada em casos onde os sujeitos apresentam resultados inferiores ao ponto de corte.

    O teste de resistência cardiorrespiratória de 6 minutos demonstrou que o sexo masculino apresentou média superior ao esperado (1155 metros), enquanto que as estudantes do feminino ficaram abaixo do esperado (1120 metros), este fato pode indicar um maior risco para a presença de níveis elevados de colesterol e pressão arterial, além da provável ocorrência de obesidade.

    Com relação à força dos membros inferiores os meninos apresentaram desempenho razoável, entre 1,8 e 1,93 metros, sendo que o ideal seria um arremesso a mais de 2,43 metros. Por sua vez, as meninas apresentaram desempenho fraco, abaixo de 1,35 metros, com um ideal acima de 1,99 metros.

    Em relação ao teste de força dos membros superiores os alunos apresentaram desempenho razoável, entre 4,0 e 4,39 metros, sendo que o ideal seria um arremesso a mais de 6,09 metros. E as alunas apresentaram desempenho fraco, abaixo de 3,00 metros, com um ideal acima de 4,30 metros.

    O teste de agilidade demonstrou que ambos os sexos apresentaram resultado fraco (o resultado ideal seria de menos que 4,91 e 5,33 segundos para homens e mulheres, respectivamente), assim com o teste de velocidade (o resultado ideal seria menos de 2,87 segundos para homens e 3,05 segundos para mulheres).

    Portanto, a partir destes resultados buscou-se discutir os aspectos relacionados à saúde no contexto escolar de maneira contextualizada, utilizando como referência os estudos de Darido (2012) a qual afirma o ensino de saúde na escola, deve buscar uma aprendizagem efetiva e transformadora de atitudes e hábitos saudáveis. Assim, transmitir informações sobre o funcionamento do corpo e as características da doenças, bem como elencar um rol de hábitos de higiene, não é suficiente para que os alunos desenvolvam atitudes de vida saudável.

    Desta forma, suscitou-se diversas discussões acerca das relações entre educação física e saúde, onde destacamos algumas: a) o que são hábitos saudáveis e suas dimensões fisiológicas, psicológicas e sociais; b) exercício e atividade física, conceitos, benefícios, qual tipo escolher; c) a importância da força e da flexibilidade.

Conclusão

    A partir do objetivo deste estudo de apresentar uma experiência de ensino na disciplina de educação física, a qual buscou avaliar o comportamento motor dos estudantes de ensino médio, com o intuito de conscientizá-los da importância da atividade física e fornecer subsídios para o desenvolvimento de uma prática integradora. Pode se inferir que esta estratégia se mostrou eficaz do ponto de vista pedagógico, uma vez que aumentou o interesse dos estudantes e possibilitou a contextualização dos temas discutidos em aula.

    Acerca da avaliação do comportamento motor dos estudantes identificou-se que a média de massa foi prevalente nos meninos, assim como estatura, envergadura, resistência muscular localizada, aptidão cardiorrespiratória, força MI e MS. Entretanto, as meninas apresentaram maiores médias no IMC, flexibilidade, agilidade e velocidade.

    O uso destes métodos de avaliação da capacidade motora e de aptidão física para a saúde contribuíram para a implementação de medidas que visem a melhoria desses índices, e também para a problematização de temas como alimentação balanceada, prática regular de atividades física e acompanhamento em saúde. Sendo que a disciplina educação física assumiu um papel preponderante nesse processo, através do levantamento diagnóstico e na discussão do tema. Contudo, ressaltamos que essas avaliações para a saúde não garantem que estes não irão desenvolver nenhum tipo de patologia.

    Assim, os próximos passos para este projeto já estão sendo dados, através da implementação de um projeto plurianual e avaliações periódicas para potencializar os resultados. Com isso, pretende-se que este trabalho possa extrapolar as fronteiras disciplinares, de modo que as discussões acerca do tema saúde vá além da educação física, e esses dados forneçam elementos para que outras disciplinas se engajem nessas discussões. Desenvolvendo, desta forma, uma prática efetivamente integrada, pautada na realidade dos estudantes e visando a sua transformação.

Referências bibliográficas

  • BARRETO, SM.; PINHEIRO, ARO.; SICHIERY, .; MONTEIRO, CA. Análise da Estratégia Global para Alimentação, Atividade Física e Saúde, da Organização Mundial da Saúde. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 2005; 14(1): 41 – 68.

  • DARIDO, S. C. Educação Física na escola: questões e reflexões. 1. ed.Rio de Janeiro: Guanabara - Koogan, 2008.

  • DARIDO, S. C. (Org.). Educação Física e Temas Transversais na Escola. Campinas: Papirus, 2012. v. 1. 240p.

  • FARIAS JÚNIOR, JC, NAHAS MV, BARROS MVG, LOCH MR, OLIVEIRA ESA, DE BEM MFL, LOPES AS. Comportamentos de risco à saúde em adolescentes no Sul do Brasil: prevalência e fatores associados. Revista Panamericana de Salud Pública, 2009; 25(4):344-352.

  • FORTES, L. d. S., et al. "Indicadores antropométricos de insatisfação corporal e de comportamentos alimentares inadequados em jovens atletas." Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 19: 35-39, 2013.

  • FORTES, L. d. S., et al. "Fatores associados ao comportamento alimentar inadequado em adolescentes escolares." Revista de Psiquiatria Clínica. 40: 59-64, 2013.

  • LAMARI, N., et al. "Flexibilidade anterior do tronco no adolecente após o pico da velocidade de crescimento em estatura." Acta Ortopédica Brasileira. 15: 25-29, 2007.

  • MACIEL, ELN, OLIVEIRA CB, FRECHIANI JM, SALES CMM, BROTTO LDA, ARAÚJO MD. Projeto Aprendendo Saúde na Escola: a experiência de repercussões positivas na qualidade de vida e determinantes da saúde de membros de uma comunidade escolar em Vitória, Espírito Santo. Ciência & Saúde Coletiva, 2010; 15(2):389-396.

  • PROJETO ESPORTE BRASIL: manual. Disponível em: http://www.proesp.ufrgs.br. Acesso em: 09 março 2012.

  • SANTOS, TB. Integrando saberes: reflexão sobre o currículo integrado da Educação Profissional Técnica de nível médio no Instituto Federal de Brasília. EIXO, v1., n1., p.57-71, 2012.

  • THOMAS, J.R.; NELSON, J.K. Métodos de pesquisa em atividade física. 3ª ed. Porto Alegre, Artmed Editora, 2002.

  • TOPOLSKI, TD, PATRICK DL, EDWARDS TC, HUEBNER CE, CONNELL FA, MOUNT KK. Quality of life and health-risk behaviors among adolescents. Journal of Adolescent Health, 2001; 29(6):426-435.

Outros artigos em Portugués

  www.efdeportes.com/
Búsqueda personalizada

EFDeportes.com, Revista Digital · Año 18 · N° 188 | Buenos Aires, Enero de 2014
© 1997-2014 Derechos reservados